11 fev 2020        Cultura

TEDxTalk: Lições da cultura de moda livre por Johanna Blakley

Johanna Blakley é diretora administrativa do Norman Lear Center, pesquisadora sobre assuntos como entretenimento global, diplomacia cultural, educação em entretenimento, cultura de celebridade, moda, mídia digital e leis de propriedade intelectual. Ela é especialista pela Universidade da Califórnia, Santa Bárbara, onde foi professora nas pastas: cultura popular e literatura do século XX. Está em inúmeros conselhos consultivos importantes no seu país, como Instituto Aspen, Active Voice, Insituto de Humanidade de Los Angeles e TEDxUSC, primeiro evento do TED no mundo. No Jornal Internacional de Gênero, Ciência e Tecnologia, membro fundadora do Les Figues Press, um local de experimentação literária.

Blakley explica a ausência de proteção de direitos autorais na indústria da moda nos Estados Unidos, cita exemplos de locais, como União Europeia e Japão, que julga ineficiente, a proteção de propriedade intelectual para os designers de moda.

“Sem propriedades não há incentivo à inovação” Johanna Blakley


Nos Estados Unidos, de acordo com a especialista há proteção de marca, porém não dos direitos autorais para a criação de um designer de moda, você pode copiar uma roupa e vende-la como criação própria, o que você não pode é copiar o símbolo de uma marca, ela acredita nisso exemplificando porque as marcas criam cada vez mais produtos com “logomania”. Há também um grande estímulo a criatividade, por você poder livremente ser copiado, as pessoas acabam cada vez mais investindo em ter seu próprio perfil e contar histórias através dos desfiles e criações. Porque sabem que ainda que sejam copiadas, a própria cópia irá associar ao original.




Johanna visualiza na indústria da moda uma pirâmide fashion, na qual no topo os criadores de tendências que se alimentam de inúmeras fontes, principalmente nas ruas, assim eles lançam o que seria “de momento” e do meio para base da pirâmide, vão copiando, até saturar o público e começando um novo ciclo, cada pedaço da pirâmide possui também um público, aquele que paga mil dólares em um sapato de uma grife, não é o mesmo que compra por 100 dólares em uma fast fashion, essa análise veio de Tom Ford, ex-estilista da Gucci, apontou em uma conferência da Universidade onde Blakley é professora e se consagrou especialista e pesquisidora, em uma Palestra: Prontos para partilhar: a moda e a propriedade da criatividade.

Clique aqui para assistir o vídeo completo

Gabriela Oliveira
Compartilhe este Post
Gilles Lipovetsky:”O luxo do futuro vai ser o luxo do amor por aquilo que fazemos”
Post Anterior
Gilles Lipovetsky:”O luxo do futuro vai ser o luxo do amor por aquilo que fazemos”
A Beleza na Antiguidade
Próximo Post
A Beleza na Antiguidade